Acessibilidade A+ A-
Arroio Grande, 26 de novembro de 2022.
Fale conosco
Cadastre-se

Cadastre seu e-mail para receber informações.

Multimídia

Notícias

NOVEMBRO AZUL É TEMA DE PALESTRA NO LEGISLATIVO
07/11/2022


Câmara Municipal


NOVEMBRO AZUL É TEMA DE PALESTRA NO LEGISLATIVO

 

Durante a Sessão ordinária desta segunda-feira, 07 de novembro, em atendimento ao Requerimento n.º 74/2022, de autoria do Vereador Joaquim Vandré, o Presidente Lili Araújo recebeu a visita do médico Dr. Vagner Smigura e do Enfermeiro Gustavo Prestes, da UBS Zona Sul, para falar sobre o “Novembro Azul” – mês de conscientização e prevenção ao Câncer de Próstata. Os dois profissionais trouxeram informações importantes para a população masculina sobre o que é o câncer de próstata, quais os sintomas, diagnóstico, prevenção e tratamento.

A palestra aconteceu durante o Grande Expediente e teve transmissão ao vivo pela Rádio Difusora FM.

O câncer de próstata, tipo mais comum entre os homens, é a causa de morte de 28,6% da população masculina que desenvolve neoplasias malignas. No Brasil, um homem morre a cada 38 minutos devido ao câncer de próstata, segundo os dados mais recentes do Instituto Nacional do Câncer (Inca). A única forma de garantir a cura do câncer de próstata é o diagnóstico precoce. Mesmo na ausência de sintomas, homens a partir dos 45 anos com fatores de risco, ou 50 anos sem estes fatores, devem ir ao urologista para conversar sobre o exame de toque retal, que permite ao médico avaliar alterações da glândula, como endurecimento e presença de nódulos suspeitos, e sobre o exame de sangue PSA (antígeno prostático específico). Cerca de 20% dos pacientes com câncer de próstata são diagnosticados somente pela alteração no toque retal. Outros exames poderão ser solicitados se houver suspeita de câncer de próstata, como as biópsias, que retiram fragmentos da próstata para análise, guiadas pelo ultrassom transretal.

A indicação da melhor forma de tratamento vai depender de vários aspectos, como estado de saúde atual, estadiamento da doença e expectativa de vida. Em casos de tumores de baixa agressividade há a opção da vigilância ativa, na qual periodicamente se faz um monitoramento da evolução da doença intervindo se houver progressão da mesma.

“Vergonha é não se cuidar”! O melhor cuidado é a prevenção.

 

Texto e Foto: Assessoria de Imprensa - CMVAG

.
Voltar